Banco do Brasil anuncia R$ 8,4 bi para financiar agricultura paranaense

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (09) pelo superintendente do Banco do Brasil no Paraná.

O Banco do Brasil vai ampliar em R$ 1 bilhão o volume de recursos destinado ao crédito rural no Paraná, passando dos R$ 7,4 bilhões aplicados na safra 2011/12 para R$ 8,4 bilhões na safra 2012/13. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (09) pelo superintendente do Banco do Brasil no Paraná, Paulo Roberto Meinerz, durante teleconferência sobre a participação do banco no Plano Safra 2012/13, transmitida de Brasília para as principais capitais brasileiras.

O banco anunciou ainda sua participação no Plano Nacional de Habitação Rural, com financiamentos a imóveis no meio rural pelo programa Minha Casa, Minha Vida. A expectativa é atender 100 mil famílias em todo o País até 2014, das quais cerca de 10 mil no Paraná, entre reforma de casas e novas moradias.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, que acompanhou o evento, é importante qualificar a aplicação dos recursos, de forma a potencializar os resultados da safra paranaense. “Não se deve aplicar o crédito só pelo crédito, mas sim qualificá-lo para conseguir resultados melhores e mais eficientes”, disse o secretário.

Ortigara lembrou que o Estado está se preparando para colher uma boa safra de milho, com preços bons aos produtores sinalizados pelo mercado, e disse que um dos desafios agora é garantir habitação digna no meio rural. Ele lembrou que a meta do governo do Estado é entregar entre 10 mil a 14 mil moradias no meio rural, entre novas e reformadas, por meio do programa Minha Casa Minha Vida Rural. “Com a entrada do Banco do Brasil temos a chance de ajudar a melhorar a vida de mais famílias”, afirmou.

Para o presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Mounir Chaowiche, a adesão do Banco do Brasil ao programa reforça a luta contra o êxodo rural. “Dar uma melhor condição de habitabilidade ao pequeno agricultor não só ajuda a fixá-lo no campo, mas também contribui para aumentar a produção agrícola e desenvolver os pequenos municípios, melhorando qualidade de vida e movimentando a economia no País todo”, afirmou.

CRÉDITO AGRÍCOLA – A expectativa do Banco do Brasil para o ano-safra 2012/13, que está começando, é aplicar R$ 55 bilhões na agricultura brasileira, sendo R$ 44 bilhões na agricultura empresarial e R$ 10,54 bilhões na agricultura familiar. Parte desses recursos será direcionada a financiamentos do programa ABC – Agricultura de Baixo Carbono, em criação de novos produtos, como o seguro para o café, e recursos para cooperativas, disse Meinerz.

O superintendente do BB no Paraná manifestou otimismo com o andamento dos financiamentos no Estado. Do total de recursos que devem ser aplicados neste ano-safra no Paraná, pelo banco, cerca de R$ 1,4 bilhão serão destinados à agricultura familiar, o que representa também um avanço, ressaltou Meinerz. Segundo ele, o agricultor familiar está investindo em mais tecnologia graças ao crédito rural. O superintendente atribuiu o sucesso do banco no financiamento rural às parcerias com os governos estaduais e as principais entidades que representam os agricultores.

Meinerz ressaltou também outros financiamentos que estão superando as metas no Estado como o programa ABC, que já financiou R$ 162 milhões, superando em R$ 40 milhões a metas fixada, e o programa de investimentos do BB no arenito caiuá, que previa investir R$ 500 milhões no ano safra 2011/12 e já alcançou R$ 513 milhões.

Entre os fatores de sucesso dos financiamentos salientados pelos dirigentes do BB estão o investimento contínuo em capacitação dos técnicos e dos parceiros, o que permite avançar nos investimentos em tecnologia, em recursos humanos e em novos produtos que devem surgir, como o seguro do faturamento.

A teleconferência realizada pelo Banco do Brasil contou com a participação dos ministros Mendes Ribeiro, da Agricultura; e Pepe Vargas, do Desenvolvimento Agrário, em Brasília. Em Curitiba, estavam presentes o superintendente regional do Ministério da Agricultura, Daniel Gonçalves Filho; o delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no Paraná, Reni Denardi; o presidente do Instituto Emater, Rubens Niederheitmann, e lideranças do agronegócio paranaense e de pequenos produtores.

Agência Estadual de Notícias - AEN