Produtores que pretendem investir em sistemas de integração devem se profissionalizar

BeefPoint promoveu o Workshop Integração Lavoura-Pecuária

No próximo dia 18 de julho, o BeefPoint promove o Workshop Integração Lavoura-Pecuária e ILPF, com palestras em formato estudos de caso de sucesso sobre esse tema. Um dos palestrantes será Henrique Lopes Moino.

Henrique Lopes Moino é engenheiro agrônomo, formado pela Universidade Estadual de Londrina e sócio proprietário da Unisafe Consultoria. Na empresa, é responsável pela área de Gestão de Sistemas de Produção Agroflorestais, tendo formação de Gestão Estratégica de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas.

Confira abaixo a entrevista com Henrique e algumas fotos de propriedades que utilizam ILPF.

BeefPoint: Fale um pouco sobre o trabalho que você vem desenvolvendo.

Henrique Lopes Moino: A Unisafe Consultoria é uma empresa constituída por profissionais multidisciplinares, situada em Londrina – Paraná, que atua com consultoria e assessoria, palestras e cursos, nas seguintes áreas:

- Fertilidade de Solos, Nutrição e Saúde Vegetal;

- Gestão de Empreendimentos de Base Agropecuárias;

- Silvicultura e Agrossilvicultura;

- Meio Ambiente, Agrícola e Urbano.

Atualmente, a Unisafe atua em diversas regiões brasileiras, com clientes desde o Rio Grande do Sul até Mato Grosso do Sul, atendendo empreendimentos de base agrícola, pecuária e silvícola. A atuação desta empresa visa profissionalizar os empreendimentos nos quais atuamos, preconizando altas produtividades, racionalização de insumos e a aplicação de processos gerenciais. Para mais informações, visite nosso site.

BeefPoint: O que você considera mais importante em uma fazenda de ILP (ou ILPF)?

Henrique Lopes Moino: O que considero mais importante em empreendimentos de base agroflorestal, ILPF, é justamente a aplicação tecnológica adequada para as intenções produtivas do sistema em questão. Uma vez que sistemas de produção diferentes são integrados, tecnologias diferentes devem ser aplicadas em determinadas áreas, o que implica a atuação, muitas vezes, de mais de um profissional e/ou empresa, a fim de suprir satisfatoriamente as necessidades técnicas.

Na minha opinião, a ausência de profissionais com a qualificação adequada para suprir toda a abrangência de projetos agroflorestais delimita o sucesso dos mesmos, de maneira geral, no Brasil.

BeefPoint: Qual o exemplo de pecuária do futuro na ILP (ou ILPF) no Brasil hoje? Quem você admira por fazer um excelente trabalho?

Henrique Lopes Moino: Existem diversas propriedades que empreendem em sistemas de integração, com muito sucesso, no Brasil. Destas, mencionaria o Grupo Montecristo, no Noroeste Paranaense, na qual discorrerei melhor em minha palestra.

A grande referência de sistemas agrossilvipastoris no Brasil, é a VCP, Votorantim Celulose e Papel, em seu projeto de 12.000 hectares no cerrado mineiro, datando desde a década de 1980.

BeefPoint: Qual o maior desafio da ILP (ou ILPF) no Brasil hoje?

Henrique Lopes Moino: O maior desafio dos sistemas agroflorestais, é sem dúvida, a falta de técnicos atuantes que possam suprir, na totalidade de um projeto, todos os fatores que devem ser contemplados em um sistema que possui mais de um fator produtivo.

Engenheiros agrônomos, veterinários e zootecnistas devem complementar tecnicamente projetos, conforme suas especificidades, para atender da melhor maneira possível determinados sistemas de integração.

BeefPoint: Em relação a ILP (ou ILPF), qual inovação na pecuária de corte você mais gostou dos últimos anos?

Henrique Lopes Moino: A principal inovação em sistemas de integração na pecuária de corte, que mais gostei nos últimos anos, foi a inclusão de essências arbóreas nativas, como fonte de sombreamento e fonte de produtos madeiráveis e não madeiráveis.

Imagino que o emprego do maior número de diagnósticos, visando a maior acurácia de tomadas de decisões, como por exemplo a correção de solos, de sistemas agroflorestais, será o principal recurso para profissionalizar, definitivamente, estes empreendimentos em questão.

BeefPoint: O que você implementou de diferente na sua ILP (ou ILPF) em 2012? O que você fez em 2012 que te trouxe mais resultados?

Henrique Lopes Moino: Definitivamente, o fator que diferenciou os trabalhos da Unisafe no ano de 2012, em sistemas agroflorestais, foi o manejo da fertilidade de solos e nutrição vegetal. Este trabalho, de maneira geral, visou o mapeamento das áreas em questão, monitoramento físico e químico do solo, monitoramento do equilíbrio nutricional das forragens, produção de grãos e árvores contidas no sistema.

O resultado foi expresso em altas produtividades, dos diferentes componentes dos sistemas em questão, preconizando, sempre, a racionalização do emprego de insumos.

BeefPoint: O que você pretende fazer de diferente em 2013, em ILP (ou ILPF)? E porquê?

Henrique Lopes Moino: Em 2013, é objetivo da Unisafe manejar, com ferramentas usadas na agricultura de precisão, os recursos aplicados em sistemas agrossilvipastoris, possibilitando assim a gestão de cada fator de produção, individualmente e coletivamente. O emprego de diversas ferramentas propiciará o monitoramento gerencial remoto de diferentes sistemas de integração e seus componentes constituintes.

BeefPoint: O que o setor deveria fazer para aumentar a competitividade da ILP (ou ILPF) no Brasil?

Henrique Lopes Moino: De maneira geral, produtores que possuem a intenção de investir em sistemas de integração devem pensar em profissionalização. A partir desta premissa, decisões tomadas empiricamente deverão ser decididas a partir da análise de dados concretos, buscando um objetivo pré-estabelecido no início do projeto.

Além, existe muito crédito disponível no Brasil para financiamento de sistemas agroflorestais, que é subutilizado, apesar dos crescentes volumes ofertados pela iniciativa pública, ano a ano. Para profissionalizar este setor o recurso disponível deverá ser aplicado de maneira mais intensiva, respeitando as premissas biológicas envolvidas em um sistema, conforme sua complexidade.

BeefPoint: Qual seu recado para produtores de gado de corte, em especial os interessados em ILP (ou ILPF)?

Henrique Lopes Moino: Invistam na diversificação e respeitem a técnica envolvida em sistemas de integração agroflorestais, que resultados fantásticos, tanto em termos biológicos quanto em termos econômicos, serão recorrentes ao setor pecuário, tornando-o tão próximo de sua expressividade máxima, quanto for possível.

Beef Point